Notícias

 
     
     
  25/04/2017 - Homologação das inscrições deferidas, e convocação dos candidatos para a prova objetiva, a realizar-se no dia 07/05/2017, às 8h00min.


Clique aqui para acessar o edital completo




25/04/2017 - Homogação das inscrições deferidas e indeferidas, e convocação dos candidatos para o sorteio do ponto da prova didática, a realizar-se no dia 02/05/2017 às 16:00 horas.


Clique aqui para acessar o edital completo




18/04/2017 - Exibição será no estúdio de rádio e TV do Imes, gratuita e aberta ao público


O Cine Debate do Imes Catanduva, em parceria com o Sesc Catanduva, exibe, neste sábado, 22 de abril, a partir das 14 horas, o premiado drama “A caça” (2012). O filme, co-produção Dinamarca/Suécia, ganhou mais de 20 prêmios internacionais e recebeu indicação ao Oscar, ao Globo de Ouro e ao Bafta na categoria de melhor filme estrangeiro, além de ter sido nomeado à Palma de Ouro no Festival de Cannes. A exibição será no estúdio de rádio e TV do Imes, gratuita e aberta ao público, e logo após haverá um debate mediado pelos professores Felipe Brida e Lilian Cantelle.

Sinopse:
Lucas (Madds Mikkelsen, vencedor do prêmio de melhor ator em Cannes pelo papel) trabalha em uma creche. Simpático e amigo de todos, ele tenta reconstruir a vida após um divórcio complicado, no qual perdeu a guarda do filho. Tudo corre bem até que, um dia, a pequena Klara, de apenas cinco anos, diz à diretora da creche que Lucas lhe mostrou suas partes íntimas. A acusação logo faz com que ele seja afastado do emprego. Mesmo sem provas reais, o professor passará a ser perseguido pelos habitantes da pequena cidade onde mora.










12/04/2017 - EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA A CONTRATAÇÃO DE DOCENTES POR TEMPO DETERMINADO PARA O ANO DE 2017, NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DO IMES CATANDUVA, DE ACORDO COM A NECESSIDADE DO INSTITUTO.


Clique aqui para acessar o edital completo.




12/04/2017 - Bate-papo tratou temas como produções recentes, bilheteria e perspectivas do mercado


Docente dos cursos de Publicidade e Propaganda e Psicologia do Imes Catanduva, Felipe Boso Brida ministrou, ontem à noite, palestra sobre cinema brasileiro na Semana de Comunicação do Centro Universitário de Rio Preto (Unirp). Participaram, no auditório central da faculdade, cerca de 60 alunos dos cursos de Publicidade e Jornalismo da instituição. Dentre os temas destacados por Brida na palestra estavam as produções recentes do cinema nacional, a crescente bilheteria nas salas de cinema e a perspectiva de público para os próximos anos. “Foi um bate-papo bem descontraído, com jovens interessados pelo tema, dispostos a dialogar e entender um pouco mais sobre o nosso cinema”, comentou o professor, que é jornalista formado pela Unirp, especialista em Artes Visuais pela Unicamp e mestrando em cinema.










07/04/2017 - As alunas discursaram sobre preconceito racial em uma escola da cidade vizinha


Duas alunas do 5º ano de Psicologia do Imes Catanduva ministraram palestras no município Novais para adolescentes sobre o tema “Preconceito racial”. Ana Carolina Ferreira Maia e Roberta D`Avanzo Sant’Ana abordaram o cenário do racismo a partir da Declaração da Organização das Nações Unidas sobre a “Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial”. Também contaram um pouco da história do dia 21 de Março, pelo movimento negro que exigiu da ONU a instituição do “Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial”, como forma de protesto contra no “massacre de Sharpeville”, ocorrido em Joanesburgo, em 1960.
“O intuito das palestras foi enfatizar uma corrente de respeito à vida, saber conhecer e aceitar as pessoas, suas características, raça, cultura, cor de pele, mesmo que seja diferente o conceito é integrar, e não desunir”, comentam as palestrantes.














03/04/2017 - Mesa redonda foi realizada no dia 15 de março


Alunos do 5ª ano de Psicologia, juntamente com ex-alunos do Imes Catanduva, formados em 2016, participaram da “Mesa Redonda sobre os avanços e retrocessos nas práticas antimanicomiais”, no dia 15 de Março, evento organizado por estudantes da Liga de Neuropsiquiatria, do curso de Medicina da Fameca.
A mesa foi composta pelos psicólogos Lígia Rodrigues e Alexandre Céspedes, ex-professores do Imes, pelo psiquiatra Gerardo M. A. Filho e pela terapeuta ocupacional Carolina Sofia Machado.
“O debate teve início com um vídeo sobre o hospital psiquiátrico Juquery, que foi considerado um dos maiores do Brasil, fundado na cidade Franco da Rocha, e tem uma história (velada) de maus tratos, mortes e torturas. Em seguida os psicólogos da mesa falaram sobre o Movimento Antimanicomial, que teve início na década de 70, acerca das características da assistência psiquiátrica que eram oferecidas nos manicômios”, comentou Roberta D’Avanzo, aluna do curso de Psicologia do Imes Catanduva.
Os psicólogos da mesa também explicaram sobre a criação da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS), que estabelece atendimento de pessoas com problemas mentais. “A Rede integra o Sistema Único de Saúde (SUS) e dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), onde presta atendimento em saúde mental. A partir desses assuntos foram feitas perguntas sobre os avanços e retrocessos nas práticas antimanicomiais, no qual os alunos foram participativos, questionando as respostas dos componentes da mesa, e tomando posturas de que tipos de profissionais irão ser, uma vez que a mesa expôs um sistema, ainda, falho na formação de profissionais da área”, finalizou a aluna Roberta.
“Essa temática foi importante, pois se constitui num instrumento de reflexão para os profissionais da área de humanas a cerca dos desafios impostos por uma sociedade contemporânea na qual caminha rumo as transformação, estudos, conceitos e práticas sobre a saúde mental compotas por diferentes grupos sociais, políticos, econômicos e éticos. Devemos reconhecer que não basta mudar a nomenclatura e leis, mas sim o nosso olhar para essas pessoas que necessitam de tratamento mental, assim evitando o sofrimento humano, exclusão e a perda de direitos fundamentais a vida”, comentou a aluna de Psicologia do Imes Ana Carolina Maia, finalizando com uma frase de Carl Jung “Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana”.












29/03/2017 - Evento, no dia 10, contou com renomadas mulheres catanduvenses


Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, Tatiana Lamanna Lopes, aluna do 5º ano de Psicologia do Imes e também vice-presidente do Coletivo Mulheres de Catanduva (CMC), organizou e promoveu, no dia 10 de março, juntamente com o Coletivo, o 1º Empoderamento Feminino, realizado no anfiteatro Museu de Imagem e Som (MIS).
O evento contou com a participação de mulheres renomadas e exemplos de empoderamento da nossa sociedade, como a deputada Beth Sahão, psicóloga Lilian Buniak, Nilva Alves dos Santos Flores, integrante da Assistência Social, Maria Amélia, presidente do Sindicato das Empregadas Domésticas, e a advogada e professora Luísa Helena Marques de Fazio. Lá explanaram o tema empoderamento em suas experiências profissionais.
Produtos de higiene feminina foram arrecadados como inscrição e em breve serão doados para a Cadeia Pública Feminina de Santa Adélia.
Segundo a aluna Tatiana, esta foi uma nova experiência que lhe proporcionou muito orgulho.










27/03/2017 - Trabalhos circularam pela rede social no dia 21 de março


Um grupo de alunas do 5º ano de Psicologia do Imes Catanduva lançou, no dia 21 de março, dois artigos informativos na rede social como forma de pesquisar assuntos relevantes estudados em sala de aula e também para incentivar outros universitários a desenvolver pesquisas e trabalhos extracurriculares.
Letícia da Costa Nunes, Michele Pereira da Silva e Tatiana Lamanna Lopes desenvolveram estudos para refletir sobre duas datas comemoradas em 21 de março: o “Dia Internacional Contra a Discriminação Racial” e o “Dia Internacional da Síndrome de Down”. Abaixo seguem os artigos e em anexo a publicação das estudantes do Imes.


Dia Internacional Contra a Discriminação Racial
21 de março

No dia 21 de março de 1960, na cidade de Joanesburgo, na África do Sul, 20 mil negros protestavam contra a lei do passe, que os obrigava a portar cartões de identificação, especificando os locais por onde eles podiam circular, mas, a meio do protesto, se depararam com tropas do exército onde estes, atiraram sobre a multidão, matando 69 pessoas e ferindo outras 186 ficando conhecida como o Massacre de Shaperville. Em memória à fatalidade, a ONU – Organização das Nações Unidas – instituiu 21 de março como o Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial.
Como uma pessoa que sofre o preconceito vive?
Em tempos que cada um parece viver sozinho fica difícil imaginar o sofrimento do outro, as angústias do outro, mas, enquanto ser humano, pessoas dotadas de linguagem e raciocínio, precisamos recuperar o sentimento pelo nosso semelhante.
Como a Psicologia pode intervir uma vez que o desrespeito pode afetar profundamente o outro e a sua subjetividade?
A Psicologia deve permanecer em defesa da sociedade e pensando nisso, lança campanhas voltadas para questões como o preconceito racial com o objetivo de reflexão onde existem pessoas em nossa sociedade, que se sentem humilhadas e este sentimento causa muito sofrimento.
É um assunto muito conhecido, porém pouco discutido uma vez que, no senso comum, o temos como natural, mas, não é nada natural não sentir empatia pela angústia do outro, não é nada natural não termos o respeito adequado com o outro, não é nada natural nos acostumarmos com essa agressão que pode não ficar tão somente no verbal.
Em uma entrevista, Valter da Mata, integrante da Comissão de Direitos Humanos do CFP, fala sobre os impactos do racismo na vida psíquica dos indivíduos e os desafios da Psicologia para enfrentar o tema. Comenta ainda que seja preciso investir mais na formação de psicólogos (as) negros (as), além de assegurar a abordagem do assunto nas grades curriculares.
O importante é saber respeitar o outro porque somos de fato, todos iguais, não existe ao fim, a cor, a religião, raça que nos difiram.

Referências

http://www2.portoalegre.rs.gov.br/pwdtcomemorativas/default.php?reg=3&p_secao=59 Acesso em 09 de fevereiro de 2017;

http://www.crpsp.org.br/portal/comunicacao/cadernos_tematicos/1/frames/caderno_01_psicologia_e_preconceito_racial.pdf Acesso em 09 de fevereiro de 2017;

http://www.crpsp.org.br/portal/comunicacao/cadernos_tematicos/1/frames/caderno_01_psicologia_e_preconceito_racial.pdf Acesso em 10 de fevereiro de 2017;

http://site.cfp.org.br/o-racismo-e-sim-promotor-de-sofrimento-psiquico/ Acessado em 10 de fevereiro de 2017.


Dia Internacional da Síndrome de Down
21 de março

No dia 21 de Março é comemorado oficialmente o Dia Internacional da Síndrome de Down e desde 2006, é amplamente divulgado, e tem por finalidade dar visibilidade ao tema, reduzindo a origem do preconceito, que é a falta de informação correta, em outras palavras, combater o “mito” que teima em transformar uma “diferença” em um rótulo, em uma sociedade cada vez mais sem tempo, sensibilidade ou paciência para aquilo que não é igual. A Síndrome de Down não é uma doença, é uma alteração genética também conhecida como Trissomia 21, justamente porque ao invés dos 23 pares de cromossomos, no par 21 existem três cromossomos assim como existem outras trissomias (18 – Síndrome de Edward, 13 – Síndrome de Patau, 8 – Síndrome de Warkany, entre outras). Podem ocorrer com qualquer pessoa, acontecendo em média um caso a cada 800 nascimentos e a chegada de uma criança com qualquer tipo de deficiência é um acontecimento inesperado que mobiliza a família e a equipe hospitalar causando nestes profissionais da saúde sentimentos de ansiedade, desconforto e impotência. Ao contrario do que se pensava anteriormente, não existem níveis de Síndrome de Down, o que acontece é que as pessoas têm desenvolvimento diferenciado e é comum acontecerem associações como o déficit de atenção, distúrbios de conduta entre outros, o que faz com que algumas pessoas atinjam um nível maior de desenvolvimento e autonomia. O trabalho do psicólogo é importantíssimo para as intervenções e informações, não ficando presas as questões da criança, seu desenvolvimento, dificuldades ou questões escolares. O foco do processo terapêutico deve respeitar o momento da criança, da família uma vez que este profissional vai lidar com sentimentos e situações conflituosas, sobretudo, no momento do nascimento, atuando de forma interdisciplinar proporcionando acolhimento e aconselhamento aos pais, ajudando-os nas dúvidas.

Referências

http://www2.pucpr.br/reol/pb/index.php/pa?dd1=445&dd99=view&dd98=pb Acesso em 13 de março de 2017;

http://www.movimentodown.org.br/2015/03/21-de-marco-dia-internacional-da-sindrome-de-down/ Acesso em 14 de março de 2017;

http://www.mackenzie.br/fileadmin/PUBLIC/UP_MACKENZIE/servicos_educacionais/stricto_sensu/Disturbios_Desenvolvimento/Cadernos_2013_vol_2/5_Perspectivas_de_atuacao_do_psicologo_hospitalar.pdf Acesso em 19 de março de 2017.







22/03/2017 - Palestra realizada ontem ocorreu no curso de Pós em Engenharia e Ciência de Alimentos


A professora Dra. Maria Luiza Silva Fazio, docente no curso de Nutrição do Imes Catanduva, ministrou ontem (dia 21) palestra como professora convidada para o curso de Pós-Graduação em Engenharia e Ciência de Alimentos na disciplina Microbiologia de Alimentos. A aula apresentou como tema “Metabolismo de Bactérias, Fungos e Leveduras”, abordando as etapas essenciais do metabolismo e crescimento microbiano.







Professora Malu (ao fundo) com alunos de Pós



16/03/2017 - Evento foi realizado no Via Eventos, no dia 15 de março

O Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal - NAF do IMES Catanduva, uma parceria entre o Curso de Ciências Contábeis do IMES e a Receita Federal do Brasil, promoveu no dia 15-03-2017, no Via Eventos, uma palestra sobre “IRPF – 2017 – Principais alterações e novidades na legislação e programa, incluindo ganhos de capital”.
A palestra foi proferida pelo Dr. Mauro José da Silva, Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil e Ouvidor da Delegacia Regional de São José do Rio Preto, sendo apresentado e saudado pela Profª Maria Lúcia Miranda Chiliga, Diretora do IMES, e contando com a participação de Alunos, Ex-Alunos, Professores e Ex-Professores do Curso de Ciências Contábeis.
O NAF-IMES tem a função de promover uma maior interação entre a Receita Federal do Brasil (RFB), os alunos de Ciências Contábeis do IMES e a Sociedade, propiciando por meio da cooperação mútua, a qualificação de futuros Contadores e a prestação de serviços fiscais a contribuintes hipossuficientes, com vistas ao fortalecimento da imagem de ambas Instituições perante a sociedade e ao desenvolvimento da moral tributária e cidadania. Busca como objetivos:
• Proporcionar aos estudantes a formação sobre a função social dos tributos e dos direitos e deveres associados à tributação;
• Qualificar o futuro profissional por meio de uma vivência prática, proporcionando a aplicação prática do seu aprendizado acadêmico, assim como a geração de conhecimento acerca das obrigações tributárias por meio, por exemplo, de discussões, criação de palestras, grupos de estudo, treinamentos e visitas guiadas à RFB;
• Disponibilizar a orientação contábil e fiscal pelos estudantes universitários a pessoas físicas de baixa renda, bem como a micro-empresas, micro-empreendedores individuais e entidades sem fins lucrativos
• Como finalidade, o NAF busca desenvolver atividades que visam atender aos princípios de responsabilidade que norteiam a Instituição de Ensino Superior, expressando o compromisso social com a comunidade na qual está inserida.
É importante observar que os NAF não são extensões dos postos de atendimentos da Receita Federal e nem substitutos dos escritórios de contabilidade.
O IMES Catanduva está avançado cada vez mais na prestação de serviços à comunidde.







Palestra IRPF - 2017


Professora Maria Lúcia Miranda Chiliga – Diretora – Abertura da Palestra


Dr. Mauro José da Silva - Palestrante


Dr. Mauro José da Silva – Profª Maria Lúcia – Prof. Luis Antonio Bertolo, Coordenador do Curso de Ciências Contábeis


Público na palestra


Público na palestra



13/03/2017 - Evento foi realizado na Sede do Sindicato dos Comerciantes (Sincomércio), em comemoração ao Dia Internacional da Mulher


A aluna do 5º ano de Psicologia do Imes Catanduva Roberta D’Avanzo participou, no último dia 07, do 22º Encontro do Conselho da Mulher Empresária (CMS). Lá assistiu à palestra da psicóloga, psicanalista, escritora e consultora Lígia Guerra, com o tema “Mulher empreendedora definindo seu destino”, realizada na Sede do Sindicato dos Comerciantes (Sincomércio), evento em comemoração ao Dia Internacional da Mulher.
“Lígia Guerra começou a palestra nos apresentando uma reflexão sobre a história de três mulheres, que são admiradas e lembradas por terem quebrado paradigmas de nossa sociedade ‘machista’. A primeira mulher é a Papisa Joana, a segunda, a Poetisa Clarice Lispector, e a terceira, Waris Dirie, que nasceu na Somália. A palestrante conduziu a palestra de forma leve, com muito humor e reflexiva sobre o papel feminino, englobando família e mulher na sociedade. Ela também é uma psicanalista que acredita que um toque de loucura e ousadia são o melhor remédio para muitos problemas emocionais”, comentou Roberta.
Lígia Guerra é também comentarista da Rede Globo no programa “Encontro com Fátima Bernardes”, autora de diversos livros no Brasil e na Europa, Especialista em Dependência Química, Especialista em Psicologia Analítica, Especialista em Psicologia do Trabalho, Especialista em Comportamento do Consumidor, com enfoque em psiquismo feminino e Expertise em relacionamentos.







Aluna Roberta (esquerda) com a palestrante Lígia Guerra (ao centro)


Lígia Guerra na palestra


Público na palestra



09/03/2017 - Pesquisa saiu na última edição da revista científica “Higiene Alimentar”


A Profa. Dra. Maria Luiza Silva Fazio, do curso de Nutrição do Imes Catanduva, publicou novo artigo na revista científica “Higiene Alimentar” (edição de janeiro/fevereiro de 2017, v. 31, n. 264/265), com o título "Determinação do potencial antibacteriano das especiarias Hibiscus sabdariffa, Carum carvi, Sesamum indicum, Foeniculum vulgare e Trigonella foenum-graecum", desenvolvido por Viniccius Silva de Almeida, ex-aluno do curso de Nutrição, Isabella Biassi Geromel e Felipe Pinheiro do Prado Felinto, alunos do curso de Medicina da Universidade São Francisco, Mairto Roberis Geromel, técnico de laboratório do Imes, e Maria Luiza Silva Fazio, orientadora.
“O trabalho apresentou como objetivo verificar a possível ação das especiarias hibiscus (Hibiscus sabdariffa), kummel (alcaravia)(Carum carvi), gergelim preto (Sesamum indicum), funcho (Foeniculum vulgare) e feno grego (Trigonella foenum-graecum) sobre algumas bactérias (Bacillus cereus, Bacillus subtilis, Salmonella Typhimurium, Samonella Enteritidis e Staphylococcus aureus). A bactéria inibida significativamente pelo maior número de extratos (6) foi S. Enteritidis, destacando-se a ação do extrato combinado de hibiscus e gergelim preto (halo de 21mm), hibiscus individual (halo de 18mm) e do extrato combinado de hibiscus e feno grego (halo de 14mm). Apresentou destaque a ação dos extratos aquosos de hibiscus individualmente e combinado sobre S. Enteritidis e S. Typhimurium”, explicou a professora Maria Luiza.







07/03/2017 - O evento é uma realização do Imes em parceria com o Sesc Catanduva, aberto para a comunidade.


Primeira sessão do Cine Debate 2017, neste mês de março, traz a animação japonesa "Meu amigo Totoro" (1988), obra-prima do diretor Hayao Miyazaki.
Premiado em festivais do mundo inteiro, o filme narra a jornada de duas meninas que se mudam com o pai para o interior do Japão, com o objetivo de ficar perto da mãe, que está internada em um hospital. Lá, elas viverão aventuras ao lado de um simpático espírito espírito protetor da floresta, Totoro, que vive em uma canforeira gigante.
A animação será exibida gratuitamente no dia 18 de março (sábado), a partir das 14 horas, no estúdio de rádio e TV do Imes (Rua Minas Gerais, 713), com debate em seguida. O evento, uma realização do Imes em parceria com o Sesc Catanduva, é aberto para a comunidade.










06/03/2017 -

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, o curso de Pedagogia do Imes Catanduva estará promovendo, nesta quarta-feira, dia 08 de marco, palestra com a professora mestre Zilah Assalin docente do Curso de Direito do Imes Catanduva. O tema será “Mulher, seus direitos e deveres e muito mais”. Haverá uma homenagem especial “In Memoriam” à Prof. (a) Maria Heleny Fabbri de Araújo, uma figura marcante na história do IMES.
Serão entregues mimos confeccionados pelas alunas do Curso de Pedagogia para todas as mulheres participantes da palestra bem como para todas as docentes e funcionárias do Imes Catanduva.
Neste ano o Imes Catanduva comemora 50 anos de atuação no ensino superior na cidade de Catanduva, assim sendo haverá no decorrer do ano diversas atividades em comemoração ao se cinqüentenário.